Como fazer a transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental


A saída da Educação Infantil e a entrada no Ensino Fundamental marcam uma passagem importante na vida das crianças. Nesse período, os alunos conhecem os novos professores e colegas, e muitos deles também precisam se adaptar a uma nova escola. O professor e o coordenador podem contribuir para que todas essas novidades se encaminhem de um jeito natural e bem-sucedido, não apenas com os alunos, mas também com as famílias.

No 1º ano, a criança começa a ter uma rotina de alfabetização e a ser avaliada constantemente. As brincadeiras ainda devem ter seu espaço, mas o tempo será diminuído e a hora de estudar ganhará mais importância. Na mochila, a boneca ou o carrinho ainda poderão estar presentes, mas dividirão espaço com livros e cadernos. As responsabilidades, aos poucos, também irão crescer: haverá mais lição de casa, além de provas e notas. É natural que nesse momento os pais se sintam inseguros e tenham dúvidas sobre como seu filho irá lidar com essa situação.

No 2º ano, a responsabilidade aumenta ainda mais, pois o brincar já não está tão presente. Além disso, há muitos alunos novos na escola que necessitam de uma boa recepção por parte da equipe escolar e passam por uma grande mudança em relação às amizades, ao ambiente e à nova rotina. Toda mudança traz certo desconforto, e por isso essa acolhida precisa ser bem planejada.

No planejamento inicial com o professor do 1º ano, costumo orientá-lo a propor uma carga horária gradativa, mantendo atividades lúdicas como a hora do pátio, a leitura de histórias e as brincadeiras com fantoches. Outra questão que discutimos é o papel do professor de intermediar a adaptação da criança a essa nova rotina e, aos poucos, garantir sua autonomia. Esse processo é algo que a própria criança precisa enfrentar, e o docente deverá respeitar o tempo e o ritmo de cada um.



Por sua vez, as famílias precisam ser acolhidas e receber o apoio não apenas dos professores, mas também da equipe gestora. É muito comum nos deparar com pais tirando dúvidas com o docente na porta da sala e pedindo ajuda para o filho. Para que isto não ocorra, uma das minhas ações de início do ano letivo é promover reunião com os pais para explicar como funciona a escola e tranquilizá-los. Eles devem conhecer a nova rotina dos filhos, a estrutura de trabalho, como eles serão avaliados e quais conteúdos serão trabalhados.

Procuro trabalhar de maneira preventiva, conversando com os docentes sobre as atitudes mais adequadas para lidar com os alunos em sala de aula e também com as famílias. Uma ideia é elaborar um documento de orientação (um guia) para os pais, contribuindo para que a transição ocorra da melhor maneira possível. Contar com o apoio deles é essencial para que a criança se sinta segura e pronta para iniciar uma nova fase.


E vocês, que ações realizam para garantir uma transição tranquila?





fonte: nova escola




7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo